Boletim: Atividades do MPL em 2007

Boletim: Atividades do MPL em 2007 – para quem nao viu ver. E pra quem viu relembrar.

JANEIRO

* Restrição ao Passe Estudantil.

O ano de 2007 inicia-se com um sério ataque aos estudantes da grande Florianópolis: o SETUF (Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo de Florianópolis) tentou restringir o direito ao meio-passe estudantil. No início de janeiro as catracas eletrônicas anunciavam “horário inválido” quando o cartão de estudante era usado fora do período em que os estudantes estavam matriculados. O MPL por sua vez convocou reuniões e se organizou para acabar com essa restrição. Promoveu atos com panfletagens em frente ao TICEN e no dia 02/02/07 a prefeitura anunciou o cancelamento da restrição, depois de muita polêmica na cidade a população de Florianópolis saiu vitoriosa novamente.

Maiores Informações: http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2007/01/370108.shtml

FEVEREIRO

* Processo político contra Marcelo Pomar, militante do MPL

No dia 27 de fevereiro, às 16h15, Marcelo Pomar, integrante do Movimento Passe Livre (MPL) apresentou-se no Tribunal de Justiça de Santa Catarina para uma audiência de conciliação. O motivo da audiência foi um processo que remonta o dia 16 de fevereiro de 2006. Naquela tarde, movimentos sociais, entre eles o MPL, protestavam por melhorias no transporte coletivo. Durante a atividade, um grupo de aproximadamente 15 homens fortes e altos atacou subitamente a manifestação, rasgaram faixas e panfletos e quebraram o equipamento de som. Os manifestantes de pronto chamaram a atenção de policiais militares presentes na região. No entanto, os policiais ofereceram escolta aos agressores ao invés de detê-los. Invertendo completamente a situação, os policiais prenderam o militante Marcelo Pomar, que estava entre o grupo dos agredidos. Os policiais acusam Marcelo Pomar de “incitar o crime” afirmando que o militante pediu o linchamento dos agressores. Na realidade, Marcelo pediu justamente o contrário, que as pessoas presentes não os linchassem. Após o ataque deste grupo organizado, a polícia civil abriu um inquérito para investigar quem seria o mandante da ação. O processo nunca foi levado adiante, mas não por falta de informações. A identidade do líder do grupo foi até mesmo publicada no encarte AN Capital, do jornal A Notícia, trata-se de Ermelino João Vieira, cujo RG é de nº 2.950.608 e mora no Sul da Ilha. O julgamento de Marcelo Pomar foi marcado para o dia 13 de maio de 2008.

Maiores Informações:
http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2008/03/413423.shtml http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2007/02/374183.shtml

Assine e divulgue a petição on-line contra o julgamento de Marcelo Pomar:
http://www.petitiononline.com/marcelop/

* Inauguração da Sede do MPL

No dia 23 de fevereiro ocorreu a inauguração oficial da sede do MPL, situada em uma pequena sala alugada na Rua General Bittencourt, no centro de Florianópolis. Este espaço agora extinto serviu durante quase um ano como local de reuniões, mostras de filmes, depósito de materiais e confraternização entre apoiadores/as do movimento. Mais de 60 companheiros/as e simpatizantes participaram da festa de inauguração. O MPL agradece todos/as aqueles/as que contribuíram financeiramente ou de outras formas para a difícil tarefa de mantermos uma sede própria durante quase um ano.

Maiores informações: http://mplfloripa.blogspot.com/2007/02/inaugurao-da-sede-do-mpl.html

MAIO

* Operação Moeda verde.

Em 13 de maio de 2007 o MPL lança uma nota pública se posicionando sobre os casos de corrupção (que ficariam conhecidos como “Operação Moeda Verde”) envolvendo setores do poder público de Florianópolis que vendiam autorizações e licenças para construção de empreendimentos em áreas de preservação ambiental. Nesta nota o movimento afirmava que a degradação ambiental e a prioridade dos interesses privados em detrimento dos interesses da coletividade vem há muito tempo sendo denunciadas pelos movimentos sociais desta cidade. Ainda na mesma nota, o movimento afirma que o prefeito Dário Berger deveria ser responsabilizado pelas denúncias, e conseqüentemente punido através do impechment. Termina afirmando que a máfia dos transportes coletivos deve ser também desmantelada e conclui que o movimento irá resistir a qualquer tentativa de aumento tarifário na cidade. Após articulações com outras organizações, convoca uma reunião que decide pela realização de um ato no dia 23 de maio, pedindo o “Fora Dário”, contando com a presença de 300 manifestantes. Foram também impressos milhares de cópias do jornal “Moeda Verde”, falando das demandas dos movimentos populares da cidade, principalmente com as temáticas transporte e moradia. Novamente pautamos a discussão do transporte coletivo, casada com outras demandas populares em nossa cidade.

Link da Nota: http://mplfloripa.blogspot.com/2007/05/pela-tarifa-zero-e-fora-drio.html

* Aumento nas tarifas

Para finalizar o agitado mês de maio, mais um aumento de tarifas. O aumento aprovado no dia 31 de janeiro passaria a vigorar no final de maio de 2007. As tarifas passaram de R$ 1,80 para R$ 1,90 (um aumento de 5,5%) no cartão e, no caso da tarifa paga em dinheiro o reajuste seria de 14,3%, passando de R$ 2,10 para R$ 2,40. A tarifa social paga em cartão, que custava R$ 1,15 passou para R$ 1,25, e em dinheiro de R$ 1,30 vai a R$ 1,50 (reajustes de 8,7% e 15,5%, respectivamente). Em todos os casos a porcentagem superou todos os índices de inflação acumulados em 2006. O MPL novamente faz atos de rua, panfletagens contrárias ao aumento e apontando soluções para a crise nos transportes, questionando não apenas o valor da tarifa, mas a própria existência dessa tarifa. No dia 31 de maio, uma grande manifestação levou 4 mil pessoas às ruas. Nos panfletos o movimento exigia a suspensão imediata do aumento tarifário e a municipalização da COTISA, como forma de baratear os custos imediatamente, assim como o início de um debate que vise o efetivo controle público sobre os transportes e a discussão sobre a TARIFA ZERO, subsidiada pelos setores mais ricos da sociedade.

Mais informações: http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2007/06/383859.shtml

JULHO

* Seminário sobre Mobilidade Urbana

Nos dias 11, 12 e 13 de Julho foi realizado um grande Seminário sobre Mobilidade Urbana, no Auditório do Centro de Convivência da UFSC.

Com o intuito de promover o debate sobre o problema da Mobilidade Urbana que tem afetado profundamente as cidades brasileiras – e gerado uma enorme quantidade de pessoas excluídas do pleno direito de ir e vir e de usufruir livremente os espaços públicos da cidade – o Movimento Passe Livre, com o apoio da Associação dos Professores da Universidade Federal de Santa Catarina (APUFSC) e do Sindicato dos Trabalhadores da mesma universidade (SINTUFSC), organizou o Seminário.

A programação contou com Lúcio Gregori (ex-secretário de transportes de São Paulo na gestão Luiza Erundina, co-autor do projeto Tarifa Zero – que chegou a vigorar num grande bairro da capital paulista – e executor da Municipalização do Transporte Coletivo na maior cidade da América Latina, em 1990), com o Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Urbano de Florianópolis (SINTRATURB), com a União Florianopolitana das Entidades Comunitárias (UFECO), com Norberto Stroich, atual Secretário de Transportes de Florianópolis, e com Ildo Rosa, Presidente do Instituto de Planejamento Urbano da cidade (IPUF). Tivemos ainda a participação de diversos movimentos sociais como: MPL, MNCR (Movimento dos Catadores), Bicicletada e coletivos pela democratização da mídia.

Mais Informações: http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2007/07/387639.shtml

AGOSTO

* Encontro Municipal do MPL Floripa

Nos dias 18 e 19 de Agosto foi realizado o Encontro Municipal do MPL Floripa. Esse encontro teve como objetivo ampliar a organização do movimento, consolidar relações entre militantes, apoiadoras/es e simpatizantes, debater questões de gênero, ratificar a abertura do debate sobre mobilidade urbana, aprimorar conhecimentos sobre aspectos de segurança, entre outros. Contou com a presença de cerca de 50 pessoas e ocorreu em uma chácara no norte da ilha.

Mais Informações: http://mplfloripa.blogspot.com/2007/08/encontro-municipal-mpl-floripa.html

OUTUBRO

* Dia Nacional de Lutas pelo Passe Livre

No dia 26 de Outubro (Dia Nacional de Lutas pelo Passe Livre) aconteceu na cidade o lançamento da campanha TARIFA ZERO.

Nesse dia, voltamos a discutir a proposta da Tarifa Zero com a população no centro da cidade. O ato, apesar de contar com número reduzido de militantes, serviu para divulgar os debates e propostas recentes acerca do transporte coletivo, como a Municipalização e a Tarifa Zero. Durante o ato, foram distribuídos manifestos do movimento, além da realização de intervenções teatrais como forma de diálogo com a população.

Mais Informações: http://mplfloripa.blogspot.com/2007/10/manifestao-lanamento-da-campanha-tarifa_19.html

DEZEMBRO:

* Festa MPL:

Para encerrar o ano, o movimento realizou uma festa com o intuito de arrecadar fundos para suas atividades. A festa ocorreu no dia 01 de dezembro, com shows de diversas bandas e a venda de bebidas, comidas vegetarianas e materiais do movimento.

Mais Informações: http://mplfloripa.blogspot.com/2007/11/verduradafesta.html

Atividades Extras:

Com o intuito ampliar nossa articulação com outros movimentos e acreditando que precisamos mudar a sociedade radicalmente, o MPL Florianópolis participou de diversas atividades com outros movimentos populares. Podemos citar entre elas:

Ocupação de terras organizada pelo MST em Papanduva; Congresso Nacional do MST no DF; XXIII Encontro Estadual MST-SC; VII Acampamento Latino-americano de Jovens; Caravana “O Preço da Luz é um Roubo”, organizada pelo MAB; ocupação em conjunto com o Comitê de Luta por Moradia Popular; além de atividades junto a Rádio Comunitária Monte Cristo, etc.

Anúncios

Um comentário em “Boletim: Atividades do MPL em 2007

Adicione o seu

  1. Pessoal do MPL, soube da existência de vcs através da reportagem da Carta Capital, e sou um defensor já a muitos anos da idéia, sou estudante de economia e já fiz projetos na área de transporte urbano, inclusive propondo o sistema com fins específicos (viagens curtas e sem sobreposição de linhas, ou seja, apenas 1 linha gratuita em cada corredor), e com fundamentação teórica e inclusive determinação de fonte de custeio (uma taxa de transporte semelhante à taxa de lixo cobrada junto ao IPTU na maioria das cidades).Minhas contas dão uma relação de até 15 vezes mais economia no custo de passageiro por km rodado, ou seja, no custo de 1 pessoa nos sistemas tarifados, dá pra se transportar até 15 pelo sistema gratuito, ao mesmo custo. Quero saber como está organizado o movimento e quero participar, debater, se tem lista de discussão, eu pretendo fazer minha monografia abordando o tema, queria ter contato com mais gente. Aguardo contato.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑